Volume
Redes
Sociais
OPERAÇÃO CARNE FRACA
17/03/2017 - 12h01 em POLÍCIA

 

Gravações telefônicas obtidas pela Polícia Federal apontam que vários frigoríficos do país vendiam carne vencida tanto no mercado interno, quanto para exportação.

Diretores e donos das empresas estariam envolvidos diretamente nas fraudes, que contavam com a ajuda de servidores do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, no Paraná, Goiás e Minas Gerais.

As gravações foram divulgadas após a deflagração da Operação Carne Fraca, nesta sexta-feira (17).

Nelas, segundo a PF, é possível identificar as práticas ilegais cometidas pelas empresas. Entre produtos químicos e produtos fora da validade, há casos ainda mais "curiosos", como a inserção de papelão em lotes de frango e de carne de cabeça de porco na linguiça.

A operação envolve grandes empresas, como a BRF Brasil, que controla marcas como Sadia e Perdigão, e também a JBS, que detém Friboi, Seara, Swift, entre outras marcas, mas também frigoríficos menores, como o Peccin, do Paraná.

A JBS afirmou que não tem informação de que algum executivo seu foi preso e informou que não há operação da PF na empresa.

A Táticas de maquiagem:

De acordo com o delegado federal Maurício Moscardi Grillo, produtos químos foram usados pra maquiar o cheiro. "Também injetavam água na carne para aumentar o peso", acrescentou.

Moscardi acrescentou que nem mesmo os fiscais envolvidos, que costumavam ganhavar carnes dos proprietários como benefício, estavam aguentando a má qualidade dos produtos. "Eles comentavam entre si que não estava mais dando para receber", disse.

“Eles usam ácidos, outros produtos químicos, para poder maquiar o aspecto físico do alimento. Usam determinados produtos cancerígenos em alguns casos para poder maquiar as características físicas do produto estragado, o cheiro", completou o delegado federal.

Carne de cabeça

Em um dos áudios gravados com autorização judicial, um dos donos da empresa, Idair Antônio Piccin, conversa com a mulher dele, Nair Klein Piccin, sobre o uso de carne de cabeça proibida, em lotes de linguiça. Os dois tiveram pedidos de prisão preventiva decretada pela Justiça.

FONTE: G1

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!