FUNCIONÁRIO QUE FILMOU FÁBIO ASSUNÇÃO DESCONTROLADO EM HOSPITAL É DEMITIDO
28/06/2017 - 13h01 em PERSONALIDADES

 

O Hospital Memorial Arcoverde demitiu o funcionário que filmou e divulgou vídeos do ator Fábio Assunção durante confusão no município pernambucano na última semana. Nas imagens, o artista paulista discute com enfermeiras e pacientes da instituição horas antes de ser detido por autoridades locais acusado de dano qualificado ao patrimônio público, desacato a autoridade, desobediência e resistência à prisão. Em nota, a casa de saúde afirma que o funcionário agiu sem o conhecimento da diretoria, que condena tal atitude. 

 

Veja a nota conjunta das polícias Civil e Militar sobre o caso: 

 

"A Polícia Militar informa que, na madrugada de hoje (24/06), foi acionada para mandar uma viatura para o Hospital Memorial Arcoverde. Lá, o ator Fábio Assunção, levado para a unidade por ter se envolvido em uma briga no Pátio de Eventos da cidade, teria ficado agressivo com as pessoas. Por isso, os funcionários da unidade chamaram a polícia. Ao chegar ao local, porém, a viatura não encontrou mais o ator e retornou ao Pátio de Eventos.

No caminho, os policiais foram acionados por duas jovens, que alegaram estar sendo ameaçadas pelo ator. Ao tentar levar as partes para esclarecer os fatos na delegacia, Fábio Assunção ficou agressivo e se negou a entrar na viatura, sendo necessário o uso de algemas para levá-lo. Ao ser colocado no xadrez da viatura ele ficou ainda mais violento, e quebrou o vidro traseiro do veículo.

Diante do exposto, a ocorrência foi encaminhada para a Delegacia Seccional. A delegada Cristina Gomes, que estava de plantão, fez a escuta de testemunhas. As ouvidas continuam até o momento. Fábio Assunção está sendo autuado por dano qualificado ao patrimônio público, desacato a autoridade, desobediência e resistência à prisão. Como o total das penas soma mais que três anos de reclusão, não cabe, no caso, o Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO). Por isso, o ator será encaminhado para exames clínicos no IML e, posteriormente, apresentado na audiência de custódia.

FONTE:POLÍCIA CIVIL E MILITAR

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!