Terça-feira, 4 de julho de 2017 às 11:48 em POLÍTICA
NÃO VALE O QUE ESTÁ GRAVADO, ESSA SERÁ A DEFESA DE TEMER

 

A defesa do presidente Michel Temer será entregue à Comissão de Constituição e Justiça da Câmara já amanhã, em uma tentativa de acelerar os trabalhos na CCJ. O advogado de Temer, Antonio Cláudio Mariz de Oliveira, planeja fazer a sustentação oral da defesa na CCJ

De acordo com um auxiliar presidencial, o governo aposta na sustentação oral de Mariz para convencer os deputados a aprovar um relatório contrário à aceitação da denúncia apresentada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, de corrupção passiva.

Apesar de ter maioria no Congresso, o governo ainda não tem certeza se possui todos os votos necessários para barrar a denúncia. A aprovação de um relatório contrário pela CCJ ajudaria a facilitar o caminho para que a denúncia seja rejeitada em plenário.

A defesa de Temer vai bater na versão já difundida de que a denúncia é "inepta" e fez uso de provas ilícitas, referindo-se à gravação da conversa entre o presidente e o empresário Joesley Batista, da JBS.

No lado político, o próprio presidente e seus auxiliares mais próximos intensificam " as conversas políticas"  para conquistar votos, especialmente entre o grande número de parlamentares que ainda se colocam como "indecisos". Nesta terça-feira, a maior parte da agenda do presidente será dedicada a receber parlamentares.

No mesmo dia, o presidente da CCJ, deputado Rodrigo Pacheco (PMDB-MG) deve anunciar o relator da denúncia na comissão. " Apesar de ser do partido do presidente e ter recebido cargos para acelerar a discussão e indicar alguém favorável ao governo, como confirmou uma fonte palaciana, Pacheco tem feito Temer esperar ".

O presidente da comissão diz que vai indicar um "perfil técnico" para a função.

FONTE:Agência de Notícias 

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!